É muito importante trabalhar a habilidade criatividade no segmento da Educação Infantil. Nesta fase, diferentes formas de expressões artísticas precisam ser utilizadas para incentivar o desenvolvimento do pensamento criativo e da imaginação nas crianças.

Conversamos sobre o assunto com a integrante da diretoria da Associação Brasileira de Educação Infantil (ASBREI), Celi Paradela. Ela conta como encorajar aos alunos a pensarem além do senso comum e serem mais criativos em diferentes situações do dia a dia. Confira a seguir. 

Por que o desenvolvimento da criatividade, ainda na Educação Infantil, é tão importante?

Trata-se do desenvolvimento de uma habilidade que o sujeito levará para a vida toda. A criatividade é necessária para a formação da identidade da criança, criação de novos projetos e desenvolvimento da resiliência – quando se faz necessário encontrar as melhores soluções para resolver as diferentes questões do dia a dia.

O incentivo ao desenvolvimento da criatividade na criança na Educação Infantil propicia a formação de um adulto mais sensível e com maior senso crítico. Por isso, a escola deve ser um ambiente propício para o desenvolvimento da criatividade.

 

Em relação às atividades da área de Artes, a criatividade desenvolvida se expande para todas as outras questões da vida?

Com certeza. É importante que a criança tenha contato visual por exemplo com obras de artes de diferentes estilos. Que ela saiba apreciar as diferentes linguagens como a música, a dança, o teatro e a literatura. Por meio da manifestação artística e suas variadas abordagens, é possível fazer diferentes leituras de realidade. Assim, a criança percebe que não há uma visão única de mundo. Igualmente importante à apreciação da arte, é a criança se expressar através dela. A expressão de cada uma delas é singular. Por isso, não devem ser aplicados modelos padrões ou direcionamentos, como o céu precisa ser azul e as plantas verdes. A criança precisa representar da forma que ela sente. Por isso, as criações dos alunos da Educação Infantil precisam ser elogiadas e não criticadas. Quando a criança inicia a fase da representação, após a da rabiscação, o indicado é fazer por exemplo perguntas para que ela própria reflita sobre o que ela pode melhorar no desenho dela. Trata-se de perguntar e não de criticar.

Quais são as diferentes formas de se incentivar o desenvolvimento da criatividade?

A criatividade vai muito além da área da Artes e suas diferentes formas de linguagens. É preciso apresentar desafios no dia a dia das crianças para que elas possam encontrar as melhores soluções. Para isso, é necessário criatividade.

A prática de contação de história pode ser um bom exemplo neste caso. A professora pode contar a história sem abordar o final e pedir para os alunos finalizarem a narrativa. Ou então contar a história completa e perguntar a eles se o final poderia ser diferente. “E, se a Chapeuzinho Vermelho não tivesse ido passear sozinha pela floresta? Como seria?”

Outro estímulo é propor diferentes formas de aprendizagem. Na Educação Infantil o conhecimento decorre por meio do brincar e de forma lúdica. Todos os dias a professora cantar a mesma música na hora da chamada para a criança aprender o nome dos colegas de sala não é estimulante. É preciso trazer o novo para oferecermos novas descobertas. Nesta caso, a professora pode trabalhar com fichas viradas ao contrário, cada aluno tira uma e identifica quem é o coleguinha que ele tem em mãos. Ou mesmo a própria criança escolhe uma ficha e sinaliza quem é outro. Enfim, são muitas e diferentes formas de aprendizagem.

O mesmo é indicado realizar com o corpo. As atividades esportivas podem e precisam ser variadas, principalmente, na 1ª infância, fase em que a criança descobre sua identidade.

Deste modo, percebemos que professores, professoras e as propostas pedagógicas das escolas da Educação Infantil necessariamente também precisam ser criativos. Somente assim, estaremos formando pessoas verdadeiramente criativas e dotadas de pensamento crítico.